38768  ACESSOS

POESIA

 

A SENSIBLIDADE DE EUCANAÃ FERRAZ

por Ramon Mello

         Ainda menino, Eucanaã Ferraz deitava no colo de sua mãe e pedia que cantasse “aquela música do mundo que caiu”. E sua mãe, paciente, entoava os versos de Maysa. Eucanaã não confirma, mas talvez tenha sido através da música o primeiro contato com a poesia. E, pelo visto, esse encontro poético será freqüente na vida do poeta e professor.

          Além de escrever seus livros – Cinemateca (ente os 10 finalistas do Prêmio Portugal Telecom 2009), Rua do mundoDesassombroMartelo O outro e o outro –, Eucanaã organizou Letra só, com letras de música de Caetano VelosoO mundo não é chato, com textos em prosa de Caetano; a antologia Veneno antimonotonia – Os melhores poemas e canções contra o tédio; e, Poesia completa e prosa de Vinicius de Moraes, junto com o amigo Antonio Cicero – iniciando assim uma intensa relação com o poeta, músico e diplomata.

          “Minha história com Vinicius de Moraes não é, digamos assim, antiqüíssima. [...] Eu não tinha grande intimidade com a poesia dele, mas é claro que a conhecia e tinha por ela um grande apreço. [...] É, portanto, uma longa história, ainda que recente, essa minha com o Vinicius. E, sem dúvida, ele é um dos grandes encontros da minha vida”, defende Eucanaã, professor de Literatura Brasileira na Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

          Apesar da popularidade, Vinicius é pouco lido, como a maioria dos autores brasileiros. E ainda carrega o preconceito dos acadêmicos em relação à sua obra poética. A reorganização dos livros realizada por Eucanaã Ferraz é uma maneira de romper com esses estigmas. Um trabalho que o manterá envolvido com poetinha – apelido carinhoso, e não diminutivo, que ganhou em vida – pelo menos, até 2012.

          Em paralelo a tudo isso, o poeta voltou-se à infância, e escrevendo para crianças. O primeiro livro foi Poemas da Iara. Seu último livro infantil, de 2009, Bicho de Sete Cabeças, com ilustrações do artista plástico português André da Loba. Neste livro, alguns seres fantásticos da mitologia – como a fênix, que ressurge das cinzas depois de morrer – e outros assustadores – como a mandrágora, o dragão e o zumbi – ganham vida.

Confira mais no site do autor: http://eucanaaferraz.com.br/

(Matéria exibida originalmente no www.saraivaconteudo.com.br)

 

 

Gregório de Maatos Guerra
Peça homenageia Quintana
Cresce número de contadores de histórias
Florbela Espanca
Projeto quer arrecadar 500 mil livros
J G de Araújo Jorge
Analdo Antunes
Feira Literária do Col. Sete de Setembro
Quer publicar seu livro?
A batalha naval do Riachuelo
Estado pode perder acervo de ERICO
Paulo Leminski
Luiz de Miranda
Inaugurada segunda quadra dos poetas
Mensagem de Ano Novo
Morre jovem escritor gaúcho
O grande Rubem Alves
Obra quase completa de Machado é lançada
Ferreira Gullar
O grande Lupicínio Rodrigues
Vinicius de Moraes
Carlos Drummond de Andrade
Machado de Assis
Mario Quintana
 
Roger Tavares - Todos os direitos reservados © Desenvolvido por iPoomWeb