39215  ACESSOS

LIVRO DA SEMANA

    

CONVERSANDO É QUE A GENTE SE ENTENDE

RIO - Nélson Cunha Mello é um "homem de sete instrumentos": ator, professor, estudioso da língua portuguesa e agora escritor. "Um belo dia", se pegou colecionando expressões populares, bordões e gírias daquelas que muita gente fala "a dar com pau" e às vezes nem se dá conta da origem ou mesmo do real significado do que disse.

     Em dez anos de pesquisa, Cunha Mello sequer precisou ir "aonde Judas perdeu as botas" para compilar as dez mil expressões que fazem parte do seu "Conversando é que a gente se entende" (editora Leya), recém-lançado dicionário de expressões coloquiais brasileiras como as que aparecem entre aspas nesta reportagem.

                                   A CONVERSANDO

      Para encontrar palavras e ditados falados por todo o país, o autor incluiu em sua rotina rituais que iam desde a leitura "ao pé da letra" de jornais diários e revistas, a "ficar de olho vivo" com o que se falava na TV, no cinema, no teatro, nas ruas. Admitindo a indiscrição, ele até passou a prestar atenção nas conversas alheias, sempre "de orelha em pé".

     - Minha maior fonte de pesquisa foi a imprensa: em todos os artigos, reportagens, colunas, até nos classificados é possível encontrar esse tipo de linguagem. Quando percebi isso, comecei a colecionar, a ficar "antenado", para usar uma expressão do livro, a qualquer coisa que aparecesse - brinca, cheio de bom humor.

     Com toda essa minúcia, Nelson já reuniu cerca de 300 palavras para um próximo volume de seu divertido dicionário. Do primeiro, ficaram fora as expressões regionais, aquelas que só são usadas (e compreendidas) em algumas partes do Brasil. As mais pesadas também foram deixadas para trás ("apesar de ter muita expressão chula", avisa).

     Em entrevista, Nelson derrete-se por sua obra de 510 páginas, cujo prefácio e apresentação são assinados pelo imortal Evanildo Bechara e pelo escritor e músico Nei Lopes. A contracapa é do colunista do GLOBO Joaquim Ferreira dos Santos.

     - A expressão "muito barulho por nada", usada até pelas pessoas mais simples, saiu da peça homônima de Shakespeare. Muita gente que repete esse bordão jamais leu Shakespeare na vida, isso é fantástico.

     Fora casos como esse, quase nada intrigou Nelson. Como a maioria das expressões já é de uso popular intenso, poucas eram as que ele não conhecia, como "fazer colher de pau e ainda bordar o cabo", que significa absolutamente a mesma coisa que "fazer coisas do arco-da-velha". Ou seja, praticar atos surpreendentes.

    Para o autor, a consagração do trabalho que foi catalogar, reunir e dar significado a tantas expressões veio com o lançamento do livro, em um evento no Rio de Janeiro.

     - Um rapaz inglês que reside no Brasil há pouco tempo me abordou e contou, com um sotaque fortíssimo, que estava comprando o livro pra aprender melhor o português. Agora ele vai poder entender o significado de muitas expressões que ouve no dia a dia.

Fonte: www.oglobo.com

 

Editora lança Box de Guimarães Rosa
O homem que venceu Auschwitz
O Hipnotista
O dia da caça
Os últimos soldados da guerra fria
Fliz por nada de Martha Medeiros
Vozes da Legalidade
Liberdade de Jonathan Franzen
Retalhos da Alma de Onélio Chagas
Para salvar uma vida
Alfabetização e linguistica
Vivendo em voz alta
O 11º Mandamento
Vermelho Amargo
Narrar por Escrito
Caçando Eichmann
Livros mais vendidos em 2010
Um homem misterioso
LOBÃO: 50 anos a mil
O filósofo e o imperador
Elite da Tropa 2
As canções de Toquinho
Sidney Sheldon: Depois da Escuridão
Desgracida de Dalton Trevisan
Conversa sobre o tempo
1822, de Laurentino Gomes
O palácio de inverno
O Aleph
Pelé - minha vida em imagens
Livro dos Sonhos
Invisível, de Paul Auster
O Mundo das Copas
501 grandes escritores
A obra completa de José Paulo Paes
Música Mundana
As melhores seleções
A guardiã da meia-noite
Livros sobre Adoniran Barbosa
Como se tornar o pior aluno da escola
Bíblia tem site que ajuda na pesquisa
A vida de Wilson Simonal
Americano lança biografia de Lispector
O Símbolo Perdido sai com 800 mil cópias
Padre Cícero
Chico Buarque: Histórias de Canções
A Hospedeira
Feijoada no Paraíso
Sepulcro, de Kate Mosse
O símbolo perdido de Dan Brown
Uma gota de sangue
A VOLTA
Dicionário Lula
O Garoto no Convés
'Noturno'
O Leitor Apaixonado, de Ruy Castro
"Fala sério, pai!" de Thalita Rebouças
O Caderno: novo livro de Saramago
A Auto-estrada
Gomorra
L&PM lança coleção
Formaturas Infernais
A vida e obra de Walt Disney
ALBERTO SANTOS-DUMONT
A Dama Azul
Os 11 maiores técnicos do futebol
Luiz de Miranda lança livro
Sua resposta vale um bilhão
O Leitor
Crepúsculo
1808, A Cabana, A Viagem do Elefante e +
A viagem do elefante
Poeta, mostra a tua cara
A Cabana e O Vendedor de Sonhos
Uma breve história do séc XX
As guerras dos gaúchos
O homem que queria salvar o mundo
O livro das citações
O grande livro do jornalismo
211 coisas para meninos e meninas
Maravilhoso Livro das Meninas
Um defeito de cor
Infiel
A Sombra do Vento
Almanaque sobre Machado de Assis
A menina que roubava livros
O CAÇADOR DE PIPAS vira filme
CAMAQUÃ TERRA FARROUPILHA
 
Roger Tavares - Todos os direitos reservados © Desenvolvido por iPoomWeb