39204  ACESSOS

PORTUGUÊS E POESIA

 

Nova casa para os livros

Após 22 meses de reforma, a Biblioteca Pública de Pelotas foi reinaugurada nesta terça, dia 23

De sua cadeira atrás do balcão da sala Machado de Assis, cercada por milhares de livros, Eniê Hyphes Alves Madruga, 75 anos, observa o vaivém dos operários encarregados de finalizar a reforma que nos últimos 22 meses fez renascer a Biblioteca Pública de Pelotas.

O prédio de dois pavimentos erguido em 1875 em frente à praça Coronel Pedro Osório, no coração do Centro Histórico, é novamente um dos cartões-postais da cidade.

O casarão, que guarda atrás de suas paredes cor-de-rosa e das grossas portas entalhadas um tesouro formado por 200 mil livros e 60 mil periódicos, além de inúmeras histórias envolvendo roubos de obras raras e até a pesquisa acadêmica de um ex-presidente da República , foi reinaugurado em cerimônia que começou às 11h de ontem.
– É um mundo que renasce – definiu Eniê.

Natural do interior do município de Canguçu, a professora aposentada pisou pela primeira vez na biblioteca em 1944, para fazer ali o curso preparativo de admissão ao ginásio. Aprovada, não deixou mais de freqüentá-la, seja como estudante, funcionária e, nos últimos anos, atendente voluntária.

– Isso aqui é minha vida – diz Eniê, referindo-se orgulhosa ao casarão centenário no qual bate ponto há 23 anos. – Já li quase todo o acervo do setor de empréstimos – completa, referindo-se a 6,5% dos 200 mil volumes armazenados.

Se as histórias forem as de amor assinadas por Madame Delly (pseudônimo adotado pelos irmãos franceses Frédéric Henri e Jeanne-Marie Petitjean de La Rosiére, autores de uma obra popular entre as jovens mulheres entre as décadas de 1930 e 1960 e cuja coleção integra a biblioteca), então, o coração de Eniê se rende, lembrando da menina que, entre as antigas prateleiras de madeira da velha biblioteca, descobriu amores pueris enquanto sonhava em ser professora.

Às 11h, todos os pelotenses foram convidados a celebrar a memória do município: a cerimônia de reinuguração da biblioteca foi aberta ao público.

 

BIBLIOTECA PÚBLICA DE PELOTAS - Praça Coronel Pedro Osório, 103 -

Tel.: (53) 3225.3856

 

ÁLVARO GUIMARÃES | Pelotas/Casa Zero Hora

 

 

Carpinejar esteve na Feira de Camaquã
31ª Feira do Livro de Camaquã
I Festa da Leitura da escola Ana Cesar
XIX Congresso Brasileiro de Poesia
Conto: O Bar do Arlindo
Turma de Letras promove Fórum
A inusitada resposta para Sant'Ana
A arroba nos endereços eletrônicos
A literatura de cordel
O menor (e melhor) conto de fadas
Escola Otto recebe exposição
Uma noite no meio dos livros
Borracharia vira biblioteca
S.O.S. São Lourenço
Morre o grande Moacyr Scliar
A dupla GRENAL e seus hinos
Vale a pena ressuscitar S. Holmes?
Profa supera deficiências p/ ensinar
Assis Brasil será secretário de cultura
O resumo do XVIII Congresso de Poesia
XVIII Congresso de Poesia em Bento
Ficção: presente e passado conquistam fã
Livros mais vendidos da semana
A universalidade de Saramago
Balanço da 30ª Feira do Livro por Catulo
Sucesso na 30ª Feira do Livro
30ª Feira do Livro
As 200 línguas do Brasil
Os campeões do ENADE
Tecnologias substituem giz e quadro
Alternativos culturais: conheça 25
A Estrada em filme
CAPOCAM 21 anos e 14ª sem. poesia
Por que as mulheres leem mais?
Morre José Mindlin
A redação nota máxima da UFRGS
Adoniran Barbosa: 100 anos
Pe. Fabio de Melo lidera vendas de Cds
Cora Coralina: grande poeta de Goiás
Feira mantém tradição, apesar da chuva
Mau tempo prejudica a Feira
Feira do Livro de Camaquã 2009
Célia Ribeiro dá dicas para autores
55ª Feira do Livro de Porto Alegre
Jornada Literária de Passo Fundo
XVII Congresso de Poesia
Ganymédes José, um grande autor
Feira do Livro de São Lourenço do Sul
Um recanto para a poesia
A arca das letras
Pouca idade, muita vontade
Vinte anos sem Raul Seixas
Frases de jogadores de futebol
100 anos da morte de Euclides da Cunha
Thedy Corrêa prestigia Feira de Chuvisca
A 3ª Feira do Livro da Chuvisca
O mito Michael Jackson
O humor de Danilo Gentili do CQC
Camaquenses são destaque no RedAÇÃO ZH
Camaquã recebe homenagem em poesia
Melhores sites p/ compra e troca livros
Invista na leitura!
Brincadeiras com eufemismos
Reforma ortográfica: não engula...
Novas regras ortográficas em 2009
15º Açorianos de Literatura
Os livros mais vendidos da semana
Congresso entrega livros
A campeã gaúcha do ENEM
A religião da gramática
Memória daquela juventude
Humor nos anos 50
Versões de ditados populares
Os 100 anos de Cartola
Congresso Brasileiro de Poesia
Dicas para uma boa escrita
Millôr: 85 anos
A importância de não saber e saber
A diferença entre mitos e lendas
A história de Paulo Coelho
O hilário Barão de Itararé
A Jangada de Pedra, por Diego S.Fehlberg
Baudelaire, por Diego S. Fehlberg
Erico e o vento intertextual
Escritores mais admirados
Morre Zélia Gattai
Humor: Um Dia de Merda
Erro de ortografia
Diego S. Fehlberg
 
Roger Tavares - Todos os direitos reservados © Desenvolvido por iPoomWeb