38792  ACESSOS

PORTUGUÊS E POESIA

 

Feira também tem etiqueta

     A jornalista Celia Ribeiro, autora de livros como Etiqueta na Prática, Boas Maneiras e Sucesso nos Negócios, Etiqueta no Século 21 (L&PM) e A Duquesa Voadora (RBS Publicações), dá alguns conselhos àqueles que fazem a sessão de autógrafos pela primeira vez:

Escritores, a expectativa

1. Atenção ao leitor é fundamental, mas não é preciso despender muito tempo com ele, especialmente se a fila de espera estiver grande.

2. Estenda a mão para cumprimentar o visitante. Não há necessidade de levantar-se, exceto para pessoas de muita idade, que não são vistas há muito tempo ou que, por algum motivo, merecem tratamento especial.

3. A assessoria da editoria pode ajudar a organizar a fila perguntando o nome da pessoa e escrevendo-o num papel, colocado na folha de rosto do livro.

4. A dedicatória deve ser legível e breve, sem excessos.

5. Feita a dedicatória, levante-se e cumprimente a pessoa.

6. Se o visitante fala demais, olhe para o final da fila para que ele perceba que mais pessoas estão à espera do autógrafo.

7. Para evitar a ideia de que o autor está chantageando alguém a ir a uma sessão de autógrafos, Celia Ribeiro cita o que aprendeu com o romancista Luiz Antonio de Assis Brasil: "Quem envia um livro de presente deve encaminhá-lo já com uma dedicatória".

8. Fique de pé, conversando com as pessoas caso não tenha uma fila concorrida na sessão. Na hora de autografar, é aconselhável sentar-se.


Leitores, o teste

1. Quem solicita o autógrafo de vários livros pode negociar com o autor ou com a editora a melhor forma de recebê-los. Se a fila estiver muito grande, o aconselhável é que a dedicatória seja solicitada apenas àquele que leva os livros. As demais obras podem ser enviadas para casa do autor ou autografadas em um outro momento.


2. Quem deseja conhecer o autor ou apenas prestigiá-lo pode ir à sessão e apenas dar um abraço nele. Não há obrigação de adquirir a obra.

3. A alternativa para quem não quiser comprar o livro pode ser levar uma obra antiga para ser autografada – uma demonstração de que o leitor aprecia o trabalho do autor.


4. Quando o livro a ser autografado não interessa ao visitante, é possível pedir uma dedicatória a outra pessoa para presenteá-la.
Editores, o apoio

1. É fundamental o apoio das editoras na sessão de autógrafos. Por meio de uma assessoria, o escritor tem mais facilidade de ver a fila organizada, assim como a disposição dos nomes a serem dedicados.

2. Autores provenientes de outros Estados devem ter atenção especial das editoras para não ficarem sozinhos.

3. Escritores de editoras independentes precisam montar um esquema na hora dos autógrafos. Familiares podem cumprir essa função.

 
(Fonte: caderno da Feira - Zero Hora)
 
 
Carpinejar esteve na Feira de Camaquã
31ª Feira do Livro de Camaquã
I Festa da Leitura da escola Ana Cesar
XIX Congresso Brasileiro de Poesia
Conto: O Bar do Arlindo
Turma de Letras promove Fórum
A inusitada resposta para Sant'Ana
A arroba nos endereços eletrônicos
A literatura de cordel
O menor (e melhor) conto de fadas
Escola Otto recebe exposição
Uma noite no meio dos livros
Borracharia vira biblioteca
S.O.S. São Lourenço
Morre o grande Moacyr Scliar
A dupla GRENAL e seus hinos
Vale a pena ressuscitar S. Holmes?
Profa supera deficiências p/ ensinar
Assis Brasil será secretário de cultura
O resumo do XVIII Congresso de Poesia
XVIII Congresso de Poesia em Bento
Ficção: presente e passado conquistam fã
Livros mais vendidos da semana
A universalidade de Saramago
Balanço da 30ª Feira do Livro por Catulo
Sucesso na 30ª Feira do Livro
30ª Feira do Livro
As 200 línguas do Brasil
Os campeões do ENADE
Tecnologias substituem giz e quadro
Alternativos culturais: conheça 25
A Estrada em filme
CAPOCAM 21 anos e 14ª sem. poesia
Por que as mulheres leem mais?
Morre José Mindlin
A redação nota máxima da UFRGS
Adoniran Barbosa: 100 anos
Pe. Fabio de Melo lidera vendas de Cds
Cora Coralina: grande poeta de Goiás
Feira mantém tradição, apesar da chuva
Mau tempo prejudica a Feira
Feira do Livro de Camaquã 2009
55ª Feira do Livro de Porto Alegre
Jornada Literária de Passo Fundo
XVII Congresso de Poesia
Ganymédes José, um grande autor
Feira do Livro de São Lourenço do Sul
Um recanto para a poesia
A arca das letras
Pouca idade, muita vontade
Vinte anos sem Raul Seixas
Frases de jogadores de futebol
100 anos da morte de Euclides da Cunha
Thedy Corrêa prestigia Feira de Chuvisca
A 3ª Feira do Livro da Chuvisca
O mito Michael Jackson
O humor de Danilo Gentili do CQC
Camaquenses são destaque no RedAÇÃO ZH
Camaquã recebe homenagem em poesia
Melhores sites p/ compra e troca livros
Invista na leitura!
Brincadeiras com eufemismos
Reforma ortográfica: não engula...
Novas regras ortográficas em 2009
Nova casa para os livros
15º Açorianos de Literatura
Os livros mais vendidos da semana
Congresso entrega livros
A campeã gaúcha do ENEM
A religião da gramática
Memória daquela juventude
Humor nos anos 50
Versões de ditados populares
Os 100 anos de Cartola
Congresso Brasileiro de Poesia
Dicas para uma boa escrita
Millôr: 85 anos
A importância de não saber e saber
A diferença entre mitos e lendas
A história de Paulo Coelho
O hilário Barão de Itararé
A Jangada de Pedra, por Diego S.Fehlberg
Baudelaire, por Diego S. Fehlberg
Erico e o vento intertextual
Escritores mais admirados
Morre Zélia Gattai
Humor: Um Dia de Merda
Erro de ortografia
Diego S. Fehlberg
 
Roger Tavares - Todos os direitos reservados © Desenvolvido por iPoomWeb