38792  ACESSOS

CRÔNICA

 

Papéis invertidos

por Raquel Liane da Silva -  Pedagoga e Psicopedadoga Clínica

 

Não há novidade em dizer que as estruturas familiares estão se modificando. Não é de hoje que isto está acontecendo, há muitos anos outras configurações familiares tem se estabelecido: mãe, avó e crianças; pai e filho; casais sem filhos; casais em que ambos têm filhos de relacionamentos anteriores e também em comum... enfim, a família nuclear não é mais regra nem modelo de família na atualidade.

Entretanto, há algo que tem sido muito pontual nos pais e nas mais diferentes famílias: a dificuldade em lidar com seus filhos desde muito cedo. Há grande insegurança e instabilidade na forma de agir, muitos sentem-se completamente perdidos.

O que está acontecendo? Por que os pais estão com tanto receio de serem pais?

Entre todas as explicações que podem ser pensadas, há duas muito comuns: na primeira, esses pais tiveram uma educação repressora e não querem repeti-la com seu filho, o que muitas vezes acaba por ir para o outro lado da balança: a educação repressora é trocada por uma sem compromisso, sem cobranças, a seu ver “libertadora”. Numa segunda explicação, os pais julgam que passam muito pouco tempo com seus filhos, pois trabalham fora, e que não podem chamar sua atenção, exigir, fazer cobranças no pouco tempo que têm para compartilhar.

Ambas as explicações são compreensíveis, entretanto, os pais que procuram ajuda percebem que apesar de sua convicção, esses modelos de educação não têm ajudado junto a seus filhos. Pelo contrário: as crianças e adolescentes mostram-se mais difíceis, exigentes e teimosos; os pais, frustrados. Em muitos relatos há uma clara inversão de papéis: quem manda na casa são os filhos e não os pais.

Não raramente os pais não podem freqüentar um restaurante, por exemplo, porque o filho não pára, não podem comprar um determinado móvel para casa, porque o filho estraga, quando recebem visitas, se envergonham, não podem sair sozinhos, porque o filho chora... A vida do casal está limitada às vontades do filho e aí os pais sentem que algo não está certo, mas não entendem o que está acontecendo de errado.

Enfim, por mais que às vezes doa, pais precisam ser pais. Precisam saber ouvir seus filhos, mas também ponderar e dar a última palavra; precisam ser afetuosos, mas também firmes quando determinam algo; precisam ser amigos, mas precisam acima de tudo terem conduta de pais. Sua principal missão é apresentar o mundo ao filho, um mundo real, que o ajudará no futuro, e não um mundo imaginário, em que todas as coisas existem para servi-lo, pois este, com certeza, lhe trará mais angústias do que alegrias.

(fonte: Zero Hora)

 

 

 

Dentro de um abraço, de Martha Medeiros
Espelho mágico
Ele é mesmo imortal
Pastelzinho de amanhã
Tribo nossa de cada idade
Viagem intergaláctica
Quindim e merengue
Cria Atividade
A tristeza permitia de Martha Medeiros
Tratado sobre a paixão literária
O bate-estaca do Chevettão 75
Francamente, senhor Wilde
Tragédias anunciadas
Brincando de Blog
Coitadinhos dos nossos ouvidos
O amor deixa muito a desejar, por Jabor
Garota de Subúrbio
Tiririca da vida?
Para se roubar um coração
Saudade nenhuma de mim
O futebol e os brasileiros
Por uma vida sustentável
Alunos apáticos, escola idem.
Os desafios da biblioteca na nova escola
35 Anos para Ser Feliz
Complexo de Guaipeca, por Carpinejar
A falta que ela me faz
Lya Luft e o ano de pensar
A elegância do comportamento
Um homem que educava pelo exemplo
Antes que a Feira do Livro desapareça!
A Última Crônica
Uma homenagem aos professores
Dos oito aos oitenta
Mais uma de Arnaldo Jabor
Curiosidades sobre o Rio Grande do Sul
Algumas piadas para adoçar a vida!
Exigências da vida moderna
Moacyr Scliar: O Senhor do Anel
Sumiço de Belchior
Sentir-se amado, de Martha Medeiros
Histórias de bichos e de livros
David Coimbra, o fusca e o frio
OS 100 ANOS DO GRE-NAL
O eu invisível
O Avião
Marias-gasolina, por Martha Medeiros
O bem e o mal da internet
A língua em todas as disciplinas
A formação do cidadão
A mentira liberdade
O bom professor
O papel da escola e dos pais
O que ensinar nas aulas de Português
Beijo na boca de Martha Medeiros
Neocaipiras - de L F Verissimo
Consumismo e solidariedade no Natal
Como lidar com o diferente
Solidariedade e egoísmos
Os talentos em sala de aula
Os casamentos na praça dos livros
A maldição da norma culta
O curso de datilografia
Os pais são os culpados
Professor de qualidade para todos
Pense nos seus professores
Uma vida de presente
Alma galponeira e peregrina
Educação ou dissecação?
Mais sombra e menos água fresca
A neutralidade como dever
As três irmãs
A vírgula - por Martha Medeiros
Avaliação não é ameaça
Somos sempre aprendentes
A reforma ortográfica
Humor: filho estudante escreve p/ pais
Crônica do amor, por Arnaldo Jabor
Tive uma idéia!
Remendar por não prevenir
Meu zeloso guardador
Não sorria, você está sendo filmado
A síndrome da notícia ruim
Mulheres do século XXI
Quase
A professora e a justiça
O universitário e o frentista
 
Roger Tavares - Todos os direitos reservados © Desenvolvido por iPoomWeb