39551  ACESSOS

CRÔNICA

       

 TRAGÉDIAS     ANUNCIADAS.
 
         Todos os anos durante o verão  a história se repete. Enchentes, desabamentos,  destruição e morte. Como já é   possível   prever   essas   tragédias , todos   nós perguntamos porque não é feita a prevenção. O que me ocorre  de  imediato  é  a  questão das prioridades  nos planos   governamentais,  nos    três  níveis  do   poder executivo. Sei que é importante para a auto estima de um país, a  realização  de  uma Copa do Mundo. No  entanto, os  investimentos  que  estão  sendo  feitos    poderiam ser aplicados  para zerar  a questão da moradia própria, na construção de  mais  escolas,  postos  de  saúde    e hospitais. A  manutenção  de   rodovias seguras, a preservação do meio ambiente, o saneamento básico, a urbanização programada, são prioridades para qualquer cidade...Quando  o Governo do Paraná construiu a famoso   Museu do Olho,  O MON,  o investimento feito daria  para  construir  10.000  casas  populares. Comentando isso com um amigo artista ele disse: cultura também é prioridade . O MON vale a pena. Mas, os que estão na linha da pobreza ou abaixo dela, não frequentam o MON. Tambem penso no investimento  que fazemos para  preparar um  atleta para uma Olimpiada, enquanto milhares de criança ficam para trás, mas sei que é importante para o  país ver seu filho no alto do podium. E quando vejo obras faraônicas,  penso que uma escola  funcional  e funcionando, seria de bom tamanho.  Grande parte ds nossas escolas,  principalmente no interior do país está  em condições precárias. Ai o arquiteto diz: a cidade precisa ter prédios    bonitos. Vale a força das vaidades pessoais. Dia  destes,  caseiramente,     eu  conversava com meu marido  sobre comprar uma cama elástica para as crianças que vão para a pousada da minha associação.Ele, jogador de snooker disse: a prioridade é comprar tacos novos para as mesas. Imaginem  a pressão dos interesses pessoais  no plano macro econômico. E um associado que vende circuladores de ar  dizia que era preciso colocar ar condicionado nas casas da pousada. Disse   que   o investimento   ficaria   em    torno     de  uns R$.20.000,00 . Aqui vale o interese econômico. Como eu trabalho com prioridades penso que entre colocar ar condicionado e construir mais duas casas, eu fico com a segunda alternativa. Entendo que deve ser difícil decidir pelas prioridades absolutas, há muitos interesses em jogo,mas quando  vidas estão em risco, como estamos vendo hoje, não   tem como fugir  de um política séria de investimentos para sanar essa situação.E  que   as vaidades   humanas   e   as   picuinhas politiqueiras   sejam postas de lado , a  competência  seja valorizada  e que os  Planos , Programas e Projetos contemplem de fato, as necessidades básicas do cidadão.

Autor: CONCEIÇÃO GOMES - publicado no site Recanto das Letras

 

 

Dentro de um abraço, de Martha Medeiros
Espelho mágico
Ele é mesmo imortal
Pastelzinho de amanhã
Tribo nossa de cada idade
Viagem intergaláctica
Quindim e merengue
Cria Atividade
A tristeza permitia de Martha Medeiros
Tratado sobre a paixão literária
O bate-estaca do Chevettão 75
Francamente, senhor Wilde
Brincando de Blog
Coitadinhos dos nossos ouvidos
O amor deixa muito a desejar, por Jabor
Garota de Subúrbio
Tiririca da vida?
Para se roubar um coração
Saudade nenhuma de mim
O futebol e os brasileiros
Por uma vida sustentável
Alunos apáticos, escola idem.
Os desafios da biblioteca na nova escola
35 Anos para Ser Feliz
Complexo de Guaipeca, por Carpinejar
A falta que ela me faz
Lya Luft e o ano de pensar
A elegância do comportamento
Um homem que educava pelo exemplo
Antes que a Feira do Livro desapareça!
A Última Crônica
Uma homenagem aos professores
Dos oito aos oitenta
Mais uma de Arnaldo Jabor
Curiosidades sobre o Rio Grande do Sul
Algumas piadas para adoçar a vida!
Exigências da vida moderna
Moacyr Scliar: O Senhor do Anel
Sumiço de Belchior
Sentir-se amado, de Martha Medeiros
Histórias de bichos e de livros
David Coimbra, o fusca e o frio
OS 100 ANOS DO GRE-NAL
O eu invisível
O Avião
Marias-gasolina, por Martha Medeiros
O bem e o mal da internet
A língua em todas as disciplinas
A formação do cidadão
A mentira liberdade
O bom professor
O papel da escola e dos pais
O que ensinar nas aulas de Português
Beijo na boca de Martha Medeiros
Neocaipiras - de L F Verissimo
Consumismo e solidariedade no Natal
Como lidar com o diferente
Solidariedade e egoísmos
Os talentos em sala de aula
Os casamentos na praça dos livros
A maldição da norma culta
O curso de datilografia
Os pais são os culpados
Papéis invertidos
Professor de qualidade para todos
Pense nos seus professores
Uma vida de presente
Alma galponeira e peregrina
Educação ou dissecação?
Mais sombra e menos água fresca
A neutralidade como dever
As três irmãs
A vírgula - por Martha Medeiros
Avaliação não é ameaça
Somos sempre aprendentes
A reforma ortográfica
Humor: filho estudante escreve p/ pais
Crônica do amor, por Arnaldo Jabor
Tive uma idéia!
Remendar por não prevenir
Meu zeloso guardador
Não sorria, você está sendo filmado
A síndrome da notícia ruim
Mulheres do século XXI
Quase
A professora e a justiça
O universitário e o frentista
 
Roger Tavares - Todos os direitos reservados © Desenvolvido por iPoomWeb