38792  ACESSOS

CRÔNICA

 

ELES SÃO UMA CLASSE EM EXTINÇÃO
Marcial Salaverry


     Vamos ver porque a classe dos professores pode ser considerada em extinção, e claro, vamos procurar entender o que é ser professor, e perceber como é desanimador ver tanta falta de reconhecimento, seja por parte das autoridades, seja por parte de certos alunos e mais ainda, dos pais desses alunos.
     Parafraseando um velho ditado, digo que de professor e louco, todos temos um pouco. Todos nós temos algo de professor dentro de nós. Sempre temos algo a ensinar a alguém e, principalmente, sempre estamos, pelo menos, querendo ensinar algo a alguém. Vai daí que, o Dia do Professor é dedicado a todos nós, e não somente àqueles heróis e heroínas que labutam nos bancos escolares, ganhando uma fábula de salário (lógico, fábula é coisa que não existe, e assim...) procurando ensinar suas matérias a alunos, na maioria das vezes muito recalcitrantes. Qual de nós não tem um lugarzinho especial na memória para algum professor (a) que teve uma passagem marcante em nossa vida? Eu, particularmente, retiro das brumas de um passado longínquo o nome de Dna. Rosina Pastore, que foi minha professora no quarto ano primário e admissão ao ginásio no Grupo Escolar Arthur Guimarães, em São Paulo. Sem dúvida alguma, UMA SANTA. Muito do que sei e sou, devo a ela, pelas lições de vida que dava em suas aulas.
     Acho que a melhor homenagem que se pode prestar a esses profissionais abnegados é esse mergulho no passado e, com um pensamento forte e saudoso ver e relembrar a importância que os professores tiveram em nossa vida, ainda mais, se considerarmos que a atualidade é bem mais sombria do que antigamente, principalmente no que tange ao respeito que se dispensa a eles. Não deixo, também, de estender os parabéns a todas as pessoas que, revelando o professor que existe dentro de si, sempre estão prontos a transmitir seus conhecimentos para outrem. Todo aquele que ensina alguma coisa a alguém, pode com todo direito ser chamado de professor. Então, a todos aqueles que em alguma época da minha vida dividiram seus conhecimentos comigo, meu MUITO OBRIGADO E MEUS PARABÉNS pelo dia 15 de outubro.
     Analisando bem as funções dos professores, chega-se à conclusão de que realmente, um professor para merecer ser assim chamado, tem que ser um ser especial, com uma real vocação para o magistério, pois realmente não é fácil ser professor. Não é apenas decorar as aulas, e despejar matéria em cima dos alunos. Envolve muita coisa. Exige mesmo uma doação por parte daqueles que escolheram essa profissão.
     Podemos considerar professores, como uma classe em extinção, devido a certas condições, que cada vez mais, dificultam o exercício de sua profissão, e assim, cada vez menos pessoas querem abraçar uma profissão que, além de ser mal remunerada, ainda conta com a falta de reconhecimento, não só por parte dos alunos, mas também e principalmente por parte dos pais. Mais ainda, por parte dos pais dos maus alunos, que atribuem todos os problemas que seus filhos causam, à ineficiencia de seus professores.
     É preciso notar ainda que o que mais assusta e preocupa os Professores hoje em dia, é a violencia que campeia nas escolas, e é preciso que se faça algo para coibir essa violencia que vem criando cada vez mais marginais nos bancos escolares.
     É preciso haver mais respeito a quem tem uma função tão importante e delicada. É preciso que as autoridades esqueçam o lado romantico da coisa, e, esquecendo a utopia, caia na realidade, pois esta é uma das classes mais mal remuneradas que existe, obrigando que um professor tenha outras fontes de renda, para tentar morrer de fome com dignidade.
     Não podemos esquecer os longos anos de estudo para chegar ao Magistério. Realmente, Professor não é uma profissão, é um estado de espírito. É imprescindível que sua remuneração seja reavaliada.
     É preciso que haja mais respeito aos professores, seja por parte dos alunos que tem que entender que eles estão na escola para estudar, e não para badernar, e que, se não quiserem estudar, devem procurar outros meios de vida. E os pais precisam entender que devem fazer sua parte na educação dos filhos, preparando-os adequadamente para a escola, explicando que eles devem respeitar os professores, como se fossem seus pais.
     O problema é que geralmente a falta de respeito começa em casa, pois nem todos os pais sabem mostrar aos filhos quais são seus limites, e o desconhecimento desses limites, implica na falta de respeito, não somente aos pais, como também aos professores, criando uma série de problemas nas escolas.
     Fechando o círculo vicioso, justamente esses pais, são os que mais reclamam da ação dos professores que acabam desanimando, e desistindo dessa profissão.
     Assim, pode-se concluir que pelo andar da carruagem, não demora muito, não encontraremos mais ninguém com disposição para encarar essa tão delicada e sacrificada profissão.
     Assim, se não houver mudanças em todos os sentidos, podemos considerar os professores, como uma classe em extinção.
     Esperando que a coisa realmente se modifique, vamos com uma certa dose de otimismo, esperar que o Dia do Professor, seja realmente UM LINDO DIA.

 

 

Dentro de um abraço, de Martha Medeiros
Espelho mágico
Ele é mesmo imortal
Pastelzinho de amanhã
Tribo nossa de cada idade
Viagem intergaláctica
Quindim e merengue
Cria Atividade
A tristeza permitia de Martha Medeiros
Tratado sobre a paixão literária
O bate-estaca do Chevettão 75
Francamente, senhor Wilde
Tragédias anunciadas
Brincando de Blog
Coitadinhos dos nossos ouvidos
O amor deixa muito a desejar, por Jabor
Garota de Subúrbio
Tiririca da vida?
Para se roubar um coração
Saudade nenhuma de mim
O futebol e os brasileiros
Por uma vida sustentável
Alunos apáticos, escola idem.
Os desafios da biblioteca na nova escola
35 Anos para Ser Feliz
Complexo de Guaipeca, por Carpinejar
A falta que ela me faz
Lya Luft e o ano de pensar
A elegância do comportamento
Um homem que educava pelo exemplo
Antes que a Feira do Livro desapareça!
A Última Crônica
Dos oito aos oitenta
Mais uma de Arnaldo Jabor
Curiosidades sobre o Rio Grande do Sul
Algumas piadas para adoçar a vida!
Exigências da vida moderna
Moacyr Scliar: O Senhor do Anel
Sumiço de Belchior
Sentir-se amado, de Martha Medeiros
Histórias de bichos e de livros
David Coimbra, o fusca e o frio
OS 100 ANOS DO GRE-NAL
O eu invisível
O Avião
Marias-gasolina, por Martha Medeiros
O bem e o mal da internet
A língua em todas as disciplinas
A formação do cidadão
A mentira liberdade
O bom professor
O papel da escola e dos pais
O que ensinar nas aulas de Português
Beijo na boca de Martha Medeiros
Neocaipiras - de L F Verissimo
Consumismo e solidariedade no Natal
Como lidar com o diferente
Solidariedade e egoísmos
Os talentos em sala de aula
Os casamentos na praça dos livros
A maldição da norma culta
O curso de datilografia
Os pais são os culpados
Papéis invertidos
Professor de qualidade para todos
Pense nos seus professores
Uma vida de presente
Alma galponeira e peregrina
Educação ou dissecação?
Mais sombra e menos água fresca
A neutralidade como dever
As três irmãs
A vírgula - por Martha Medeiros
Avaliação não é ameaça
Somos sempre aprendentes
A reforma ortográfica
Humor: filho estudante escreve p/ pais
Crônica do amor, por Arnaldo Jabor
Tive uma idéia!
Remendar por não prevenir
Meu zeloso guardador
Não sorria, você está sendo filmado
A síndrome da notícia ruim
Mulheres do século XXI
Quase
A professora e a justiça
O universitário e o frentista
 
Roger Tavares - Todos os direitos reservados © Desenvolvido por iPoomWeb